Eu Quero Doar

Médico que fazia abortos, abandona carreira após sonhar com São Tomás de Aquino

Testemunhos    |     Eline Carrano     |     28/11/2016

Um dos principais líderes do movimento pró-vida, na Sérvia, tem uma história inspiradora e comovente. Durante 26 anos, Stojan Adasevic, foi ginecologista abortista e teve uma história de prestígio na Belgrado Comunista. Ele estima que já tenha feito mais de 40 mil abortos, o que chegava em média a ser 35 atendimentos por dia. O regime comunista era sustentado por livros que pregavam uma teoria de que o aborto era uma simples remoção de tecido. Os ultra-sons, que permitiam ver os fetos, só foram inventados nos anos 80, mas isso não fez com que Stojan mudasse sua opinião clínica e comportamental.

Mas sua vida ia passar por um milagre, um momento que parecia até simples, mas que não permitiu que sua vida continuasse a mesma. Em uma determinada noite, Stojan começou a ter pesadelos onde ele caminhava por um belo campo cheio de crianças e jovens, entre 4 e 24 anos. Essas crianças brincavam e riam, mas depois fugiam aterrorizadas. Um homem vestido com um hábito preto e branco o olhava atento, de longe. Stojan achou que tinha sido apenas um sonho sem sentido, mas isso se repetiu várias vezes durante todas as noites e o fazia acordar desesperado e com suores frios.

Mas em uma determinada noite, o médico resolveu perguntar ao homem de hábito quem ele era e a resposta não poderia ser mais impactante. 'O meu nome é Tomás de Aquino, ' disse o homem no sonho. Stojan, formado nas escolas comunistas, nunca havia ouvido falar do santo dominicano e não entendeu de início de quem se tratava. 'Por que não me perguntas quem são estas crianças? Mataste-as com os teus abortos”, disse-lhe Tomás. O abortista acordou impressionado e decidiu que nunca mais iria fazer abortos. Naquele mesmo dia, chegou em seu hospital um de seus primos com sua namorada, grávida de quatro meses, para fazer seu 9º aborto, já que essa prática é muito comum nos países do bloco soviético. Stojan concordou em fazê-lo, mas ao invés de remover o feto membro a membro, decidiu esmagá-lo como uma massa. No entanto, o coração do bebê saiu ainda batendo e Stojan se deu conta de que havia matado um ser humano.

Foi quando então, Stojan decidiu que não iria mais viver aquela vida. Informou ao hospital que não faria mais abortos, surpreendendo os médicos da Jugoslávia. Seu salário caiu pela metade, demitiram sua filha, não permitiram que seu filho fizesse faculdade. Quase no fundo do poço de sua carreira, Stojan recebeu um alento na alma por sonho, de seu mais novo amigo, Tomás. 'És um bom amigo, persevera', disse o homem de preto e branco. Foi assim que Adasevic decidiu se comprometer com os grupos pró-vida. Ele foi até as redes de televisão com o documentário “O Grito Silencioso”, feito por um famoso ex-abortista, Dr. Bernard Nathanson. No início dos anos 90, o movimento pró-vida conseguiu ainda que fosse aprovado no parlamento um decreto que protege os não-nascidos. Porém, o presidente Milosevic se recusou a assinar o documento. Depois, Milosevic foi à guerra civil com o povo jugoslavo que tinham abortado os seus filhos aos milhares. Dr. Stojan Adasevic publicou seu testemunho em jornais e revistas da Europa Ocidental, como a revista russa, “Liubitie Drug Druga”.

 

Fonte: Senza Pagare

 
 
 

 

NEWSLETTER

Receba nossas novidades por e-mail, cadastrando-se gratuitamente abaixo:

REDES SOCIAIS

Conecte-se conosco Site
oficial

NOSSA LOJA VIRTUAL

Livro: Os 4 hábitos da alegria interior

Livro: Os 4 hábitos da alegria interior

IR À LOJA
Legionários de Cristo - Todos os direitos reservados - 2017 RS DEZOITO