JMJ do Panamá teve missa e adoração em shopping com mais de 1000 membros do RC

0
330

No dia 23 de janeiro o Papa Francisco chegou ao Panamá para acompanhar os participantes da Jornada mundial da Juventude (JMJ), que se realizou, neste país, do dia 22 a 27 de janeiro.

“Pedro está convosco para celebrar e renovar a fé e a esperança. Pedro e a Igreja caminham convosco e queremos dizer-vos que não tenhais medo, que prossigais com esta energia renovadora e essa inquietação constante que nos ajuda e impele a ser mais alegres e disponíveis, mais “testemunhas do Evangelho”, disse o Papa na Cerimônia de acolhida e abertura da JMJ.

Mais de 1.100 membros do Regnum Christi de vários países (Chile, Venezuela, Colômbia, Guatemala, El Salvador, Costa Rica, Panamá, Estados Unidos, México, Alemanha, Argentina, Brasil, etc) participaram da JMJ no Panamá.

O grupo brasileiro do Regnum Christi que participou da JMJ foi organizado pela localidade de Brasília contou com 28 participantes. Os encarregados foram: Danilo Lecioni – membro leigo do RC, Maria Miranda – Consagrada RC e Pe. Daniel Hinestroza, LC.

RC Panamá: missa e adoração em Shopping Center

No Panamá, o grupo ficou em um alojamento organizado para todos os grupos do Regnum Christi, na Universidade de Panamá, totalizando 900 pessoas no
alojamento. Além dos eventos organizados pela JMJ (catequese e atos centrais), na quarta-feira (23/01), a tarde, foi realizada a “Noite RC”, em um dos shoppings da cidade.

Foi um encontro para todos os membros do RC presentes no Panamá, iniciando com a celebração da Santa Missa e finalizando com adoração Eucarística cheia de cantos de louvor em vários idiomas e momentos de silêncio. Membros do RC Brasília participaram do ofertório e da adoração eucarística, por meio dos cantos da Dani Valentin, Ariele Silva e Guilherme Macedo.

“Essa JMJ foi muito especial para mim. Poder estar com minha família RC do Brasil e do mundo foi incrível! A missa e adoração do Regnum Christi no shopping foi muito interessante porque em um primeiro momento pensei “nossa fazer uma missa em um shopping? E, depois, uma adoração? Não sei se é uma boa ideia”; e, finalmente, foi incrível. Na adoração, pude perceber como Cristo era o centro da minha vida e de todos aqueles jovens que estavam lá. Ver todos olhando para o centro do altar, o Cristo Eucarístico que é eterno, e de costas para as lojas sem nem olhar as vitrines! Foi muito lindo. As atividades da jornada também foram um presente de Deus. Poder ouvir o papa sempre tão simples e profundo, falando coisas que enchem o coração de alegria, mas também que não nos deixam ficar acomodados. Como disse o papa: “não podemos permanecer no chão”! Depois dessa jornada me sinto impulsionada a viver mais a caridade e olhar com mais cuidado para os irmãos. Estou animada para a próxima jornada
e ansiosa para descobrir como Deus vai me preparar para esse novo encontro” Manon Masi, RC Porto Alegre

Pré jornada: Missões na Colômbia

Antes da JMJ, o grupo do RC realizou a pré-jornada fazendo missões na Colômbia, organizada junto com jovens da Juventude Missionária de Bogotá, na cidade de Villapinzón, a 150 km da Capital. No dia da chegada, 18/01, o grupo conheceu o centro da cidade,
visitou à Catedral, comeu pratos típicos da culinária colombiana e conheceu o Cerro de Monserrate, símbolo da Capital – uma das montanhas da Cordilheira Oriental, parte da Cordilheira dos Andes – na qual se encontra a Basílica Santuário do Senhor Caído de Monserrate.

Pela noite, o grupo foi acolhido pela comunidade de “Guanguita”, na cidade de Villapinzón, local no qual realizaram as missões junto com alguns jovens colombianos, permanecendo até segunda-feira (21/01), pela manhã.

Após se despedir da comunidade, antes de partir para o Panamá, o grupo
de peregrinos conheceu o Colégio Cumbres de Bogotá e realizou um tour pela cidade, conhecendo a Catedral de Sal – construída no interior das minas
de sal de Zipaquirá.

Ao todo, o grupo brasileiro foi composto por 28 participantes durante a JMJ Panamá,
sendo: 12 de Brasília, uma de Porto Alegre, um do Rio de Janeiro, quatro de São Paulo, dois de Santa Catarina, duas Mexicanas, duas Religiosas de Brasília, uma Consagrada do RC e três Padres LC.

Veja alguns testemunhos de membros do RC que participaram da JMJ:

“Deus sempre me coloca nos lugares onde eu preciso estar, pra ver, ouvir e viver tudo o que Ele sabe que eu preciso. Mas, mesmo sabendo disso, a Jornada superou tudo o que eu podia esperar! Ser peregrino foi refletir sobre a minha vida inteira em forma de ações. Eu não imaginava ter tantos perrengues e tantas graças juntas em uma única semana e, pelo olhos da fé, ser capaz de reconhecer cada uma delas. Andar por distâncias longas; passar muito calor, frio e até dor; vibrar com jovens do mundo inteiro e depois presenciar o silêncio absoluto dessas milhares de pessoas ao adorarem Jesus Eucarístico e; além de tudo, ter minhas meditações complementadas pelos discursos do próprio vigário de Cristo. Tudo isso foi uma experiência que mexeu com meu interior, e continua gerando muitos frutos agora que voltei a rotina do dia a dia. Mais uma vez, meu Pai me surpreendeu com Sua plenitude, de jeitos totalmente inusitados e incríveis.” Ariele da Cruz Silva, RC Brasília

“Essa foi a minha primeira jornada. Tinha várias expectativas, mas nada parecido com o que vivenciei. Foi um desafio para mim e uma graça de Deus poder ir para à JMJ. Senti como se fosse a mão de Deus mesmo providenciando tudo, tudo mesmo. Na pré-jornada, fizemos missões em uma cidadezinha pequena perto de Bogotá, na Colômbia. Lá tivemos que enfrentar um frio com o qual os brasileiros não estão nada acostumados, sem estarmos preparados. Mas Deus foi aquecendo o nosso coração e foram umas missões lindas, especiais, que nos permitiu partilhar nossa expectativa com a Jornada e nossa experiência missionária no Brasil com os missionários colombianos. A simplicidade se sobressaiu na jornada e a união do grupo foi essencial, inclusive para enfrentar o frio durante as noites. No Panamá, de pronto, já estávamos entendendo o recado de Deus. O caminho não é fácil para chegar ao céu. Às vezes, precisamos correr (de fato, corremos no Aeroporto do Bogotá para não perdermos o voo), ser pacientes, unidos, amigos, compassivos. Alguns do nosso grupo ficaram doentes. Mas Deus foi providencial, de forma que, no dia da Vigília, as pessoas já estivessem bem para realizar a peregrinação. Dizer “SIM” não é fácil, principalmente quando se tem noção das consequências dessa escolha. Mas é uma decisão que exige confiança em Deus, assim como Maria agiu, consciente e confiante. E esse “fiat” exige transformação, docilidade à ação de Deus e coragem para agir HOJE. E essa foi a mensagem da Jornada: Você está disposto a dizer o seu SIM a Deus?” Daniella Valentim, RC Brasília

Assista ao vídeo da participação do Regnum Christi na JMJ: 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here