Missões e SuperAção no feriado de Aparecida: construindo capelas e levando o amor de Cristo

0
363

No fim de semana de 11 a 14 de outubro, diversas atividades apostólicas foram promovidas pelo Movimento Regnum Christi em todo o Brasil. Destaque para as duas capelas que foram construídas pelo Sonhar Acordado e as missões realizadas pela Juventude e Família Missionária por ocasião das comemorações de Nossa Senhora Aparecida, padroeira do Brasil.

As missões de Aparecida deste foram organizadas pelas localidades de Brasília, Campinas, Jundiaí, Recife, Rio de Janeiro, São José dos Campos e São Paulo. Já as capelas construídas pelo Sonhar Acordado, estiveram a cargo das localidades de Campinas e Rio de Janeiro.

Nas comunidades em que foram feitas as capelas, enquanto acontecia a construção pelos “superators”, como são conhecidos os voluntários do programa SuperAção do Sonhar Acordado, jovens missionários desenvolviam suas atividades paralelamente.

Campinas

Uma das capelas, construída no Jardim Rosália, em Campinas, foi dedicada à Nossa Senhora do Perpétuo Socorro. Na construção desta capela participaram 57 jovens. Um dos “superators”, Luiz Pilz, comentou que é completamente apaixonado pelo SuperAção. “O primeiro do qual participei foi em outubro de 2017, quando construímos a Capela Nossa Senhora de Fátima, em Salto/SP. Participar da construção de mais uma capela, para uma comunidade tão linda, além de extremante emocionante como sempre, foi uma renovação de esperança nas pessoas, no ser humano, em meio a tantos problemas que temos enfrentado nos últimos tempos, com violência, intolerância, falta de empatia e amor ao próximo. Percebi nestes dias que nós somos maioria e, quando nos juntamos, certamente conseguimos fazer o mundo um lugar melhor, tanto para missionários e “superators” que participaram destes momentos maravilhosos, como para essa comunidade tão especial e cheia de amor.”

Para Carlos Beraldi, “construir uma capela em três dias, com pessoas incríveis, é fascinante; mas construir amigos, criar laços e descobrir que Deus realmente está presente, não há palavras que descrevam essa sensação.” Também Bruna Menezes ficou sem palavras; para ela “o SuperAção é tão maravilhoso que não se consegue descrever com palavras. Você precisa vivenciar a experiência; é a única maneira de entender. O SuperAção, para mim, é sinônimo de preenchimento. Você chega lá pensando que basta martelar e sai transbordando de amor, carinho, compaixão e fé em Deus! Você chega no SuperAção com a bateria 0% e sai de lá 100% recarregado de amor e fé, muita fé, inclusive, mais fé do que você imagina que tem.”

A capela Nossa Senhora do Perpétuo Socorro foi construída na Paróquia Nossa Senhora da Conceição. Nessa paróquia, enquanto se construía a capela, 52 missionários, provenientes de Campinas, Jundiaí e São Paulo anunciavam o Evangelho nas casas e convidavam para a inauguração da nova capela.

Rio de Janeiro

No feriado de Aparecida, 60 jovens (45 Superators e 15 missionários), acompanhados dos Padres Juan Pablo Botero, LC., e Alexandar Pavicevic ,LC., foram para Itaguaí-Chaperó construir a Capela Nossa Senhora da Glória e missionar as casas da comunidade. No domingo, 14, a comunidade assistiu a missa na nova capela presidida pelo bispo.

Enquanto alguns missionavam, levando carinho e o amor de Cristo às casas, outra parte dos jovens erguia do zero a capela. Todos os participantes tiveram uma formação sobre temperança e esperança, atividades em equipe e muita alegria.

Para Helora Skinner, a experiência foi indescritível. “Nada no mundo é melhor do que doar um final de semana construindo não só apenas uma capela, mas também esperança e amor. Recebemos muito carinho e atenção da comunidade, uma das melhores coisas pra mim, foi notar o brilho nos olhos deles de felicidade e receber aquele abraço forte e caloroso. Não há nada no mundo que compre essa sensação. Foi um final de semana que deixou aquele gostinho de ‘dever cumprido’ e de ‘quero mais’. É muito bom fazer e deixar algo de bom pra alguém e nesse feriado deixamos não só a Capelinha, mas muito amor e esperança”, contou.

Brasília

Em Brasília, 215 pessoas participaram das Missões de Aparecida, sendo 75 delas dedicadas a missões humanitárias.

A Juventude Missionária Feminina e Masculina esteve em Sobradinho, e foi acompanhada por três consagradas: Mariana Miranda, Camila Melo e Luísa Almeida, além do Pe. Daniel Hinestroza, LC.

Os adolescentes do Fogo Missionário e da Cor Missionária missionaram no Paranoá, região do Colégio Mão Amiga, acompanhados das consagradas Maria Esther Muñoz e Pilar Rodriguez e de duas famílias missionárias.

Para Laís Maria, 19 anos, uma das responsáveis da Cor Missionária, as missões significam “tirar um tempo da nossa vida para se doar completamente para Cristo, principalmente no sentido de viver na simplicidade e na humildade. É uma forma de olhar o mundo com os olhos de Cristo e tratar as pessoas como Jesus fez quando estava evangelizando”.

“O que eu mais gostei foi ir a algumas casas que não estavam previstas e ouvir das pessoas que queriam muito ter a nossa visita. Isso mostra que Deus estava nos guiando para os planos Dele. Pra mim, fazer missões é sempre único e me faz valorizar mais a minha vida”, disse.

As missões humanitárias aconteceram em Senador Canedo (GO), com a presença de advogados, médicos e profissionais da saúde, acompanhados pelo Pe. Ignácio Daruich, LC. “Para mim foi um momento ímpar, porque além de visitar as casas, podemos transformar o amor de Deus em atos concretos, a partir dos atendimentos que realizamos por meio de nossas profissões. Também conseguimos ter mais momentos de oração entre os missionários, e isso nos ajuda ser profissionais que realmente levam o amor de Cristo por meio dos atendimentos”, contou Emily Neves, advogada e uma das coordenadoras do grupo.

São José dos Campos e Itaquaquecetuba

De 05 a 07 de outubro também teve missões no interior de São Paulo. Acompanhados pelo Pe. Mairon Gavlik, LC., e o irmão Andrés González, 23 jovens de São José dos Campos e Itaquaquecetuba e 06 casais da família missionária foram para a Comunidade de São José, Cachoeira Paulista. O Sr. Juninho que é membro e um dos fundadores da comunidade os recebeu em sua casa, onde também reside à comunidade e, durante todos os três dias de missões, acompanhou os missionários durante as atividades. Juntos, testemunharam e compartilharam a Igreja em Saída e o papel do jovem na missão de levar Cristo ao próximo

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here