“E vós quem dizeis que eu sou?” – Uma viagem à Terra Santa

0
101

Viajar à Terra Santa é mais do que fazer uma viagem de turismo, é uma verdadeira aula de história. Acima de tudo é uma profunda experiência com a pessoa de Jesus Cristo que ali habitou e deixou marcada sua obra de salvação na humanidade, permitindo que todas as gerações pudessem conhecê-la e tocá-la. Mas, você sabe qual a importância que a Terra Santa tem para os cristãos? Leia esse post e descubra.

O que é a Terra Santa?

Uma região do Oriente Médio formada por Israel, Palestina e Jordânia onde se encontram diferentes culturas e religiões, eis o território sagrado. Entre as religiões predominantes destacam-se muçulmanos, judeus e cristãos, sendo os cristãos a minoria, com uma presença que varia de 50 mil, em território palestino (incluindo Jerusalém) a 150 mil, na Jordânia. Israel acolhe aproximadamente 130 mil cristãos.

Ao contrário do que muitos pensam, há tolerância e respeito entre os seguidores dessas religiões, na Terra Santa. Um exemplo disso é o que acontece em Jerusalém, onde em lugares sagrados como a Basílica do Santo Sepulcro, o muro Ocidental e a Esplanada das Mesquitas, cristãos, judeus e muçulmanos se encontram frequentemente.

Nessa faixa territorial existem seis igrejas católicas: a Igreja Latina e as Igrejas Orientais que estão unidas à Roma e reconhecem o Papa como autoridade máxima, as Igrejas Ortodoxas, constituídas por gregos ortodoxos, sírios ortodoxos e as Igrejas da Reforma Luterana e Anglicana. Antigamente, por volta dos seis primeiros séculos, o cristianismo predominava entre as religiões, mas com a chegada do Islamismo, os números mudaram. Esse é um dos desafios dos cristãos na Terra Santa: viver a fé em Cristo junto a outras Igrejas e ser presença na sociedade e na situação política da região.

“E vós quem dizeis que eu sou?”

Essa pergunta realizada por Jesus aos discípulos vai muito mais além da espera de uma simples resposta acerca de quem Ele era. Na verdade, a resposta dos discípulos expressava o nível de conhecimento que eles possuíam sobre a pessoa de Jesus Cristo e sua missão messiânica Enquanto eles respondiam a pergunta de Jesus, Pedro tomou a palavra e disse quem, de fato, é o Senhor: o Cristo, o Messias, o enviado por Deus (cf. Mt 8,27-38).

Quem vai à Terra Santa vive a mesma experiência vivida pelos discípulos: reconhece o Mestre como o Cristo, o Salvador. Ao passar pelos lugares sagrados, o fiel faz memória da vida pública de Jesus e adentra na contemplação de seus mistérios, milagres e prodígios realizados ali e passa a compreender quem é Jesus.

O que fazer na Terra Santa?

Os lugares sagrados são muitos. O ideal seria ir à Terra Santa acompanhado por  um diretor espiritual, que explicasse os detalhes da vida de Jesus em cada lugar que visitar,  promovendo momentos de oração com os peregrinos. Utilizar-se das Sagradas Escrituras vale muito apena durante a visita. Bom, mas sobre o que fazer nesta Terra Sagrada, destacamos alguns lugares importantes:

  • Monte Hebron – Bersabéia – O local hospeda as Tumbas dos Patriarcas. Neste lugar aconteceram alguns fatos históricos: Abraão planta a sua tenda aqui, depois de se separar de Ló, sepulta Sara na caverna do terreno adquirido de um hitita e na mesma caverna, Abraão será sepultado pelo seus filhos; a 45 Km ao sul do Monte Hebron se encontra Bersabéia, cidade que abriga um grande centro urbano, onde há abundante produção em meio ao deserto. Quem visita Bersabéia não pode deixar de ir ao assentamento do período calcolítico (4.000 a.C.) de Abu Matar, Bir es-Safadi, um sítio onde vieram à luz assentamentos posteriores e Tel es-Seba, a cidade dos Patriarcas, conforme fala as Sagradas Escrituras. 
  • Monte Sinai – Conhecido na Bíblia como o Monte Horeb. O lugar possui 2.285 metros de altitude e é circundado pelo Mosteiro de Santa Catarina. Foi lá onde Moisés recebeu as tábuas da Lei. E, segundo a tradição, foi de lá que Moisés foi avistado com as filhas de Jetro, perto do atual poço do Mosteiro. Ali está a Igreja da Transfiguração, do século VI, onde é possível admirar um dos mosaicos mais antigos, colocado entre os anos 565 a 570. 
  • Belém – Vale visitar a Basílica da Natividade, berço do cristianismo. A cidade é conhecida pelo nascimento do Menino Jesus. Além da Basílica da Natividade, os peregrinos têm a opção de conhecer a Igreja de Santa Catarina, a Gruta do Leite, a Tumba de Raquel, o Campo dos Pastores, entre outros. 
  • Jerusalém – Em Jerusalém há muitas opções de visitas. O peregrino pode ir a Esplanada das Mesquitas, também conhecida com o Monte do Templo – lugar onde surgiram as mesquitas que tornaram Jerusalém a terceira cidade santa para os muçulmanos do mundo inteiro. Dela é possível admirar a Cúpula da Rocha e a mesquita de al-Aqsa. Foi ali que no ano 1.000 a.C. surgiu o primeiro Templo judaico, construído por Salomão. Na cidade está o tão conhecido e visitado “muro das lamentações” (Muro Ocidental) que sustentava o Segundo Templo. Dali é possível seguir para o local que marca o trajeto da  via-crucis, a subida de Jesus em direção ao Monte Calvário, percorrendo o caminho que Ele fez levando a cruz até chegar ao Santo Sepulcro. Ali se encontra a Basílica do Santo Sepulcro, onde está o local da sua crucificação, o lugar onde seu corpo foi deposto e a tumba de onde ressuscitou. Em Jerusalém ainda é possível visitar o Monte Sião, o Monte das Oliveiras e o Getsêmani (local rico em santuários, incluindo a igreja do Pai Nosso e a Igreja ortodoxa de Maria Madalena) e outros. 
  • Nazaré – Considerada a terceira cidade mais importante para os cristãos. Em Nazaré se encontra a Basílica da Anunciação, uma construção moderna, surgida a partir da primeira basílica bizantina do século V, dos cruzados do século VI e da igreja franciscana de 1730. Conta-nos a tradição que neste local havia a casa de Maria e do lado dela foi construída uma sinagoga judeu-cristã. Do tempo da sinagoga ainda se conserva uma pia batismal. Certamente, a experiência de reviver o momento em que o Anjo Gabriel anunciou a Maria que ela seria a mãe do Salvador lhe proporcionará uma experiência única com o amor de Deus. Bem próximo da Basílica da Anunciação está a Igreja de São José, local que era considerado a sua casa.

A importância desses locais sagrados está em ajudar os cristãos a manterem viva a sua fé. Quando for à Terra Santa, escolha uma peregrinação que contemple estas cidades e renove a sua fé professando-a como o apóstolo São Pedro: “Tú és o Cristo” (cf. Mc 8,29).

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here