Legionários de Cristo prestam contas em Informe Anual de 2020 “Verdade, Justiça e Reconciliação”

0
2235

 

  • A Congregação dos Legionários de Cristo publicou o Informe Anual de 2020 “Verdade, Justiça e Reconciliação” que recolhe os passos dados na atenção das vítimas e o desenvolvimento de ambientes seguros.
  • O Informe Anual presta contas dos compromissos assumidos pelo Capítulo Geral de 2020 e pelo atual Diretor Geral. Dirigido principalmente às vítimas, ele apresenta a parceria da Congregação com a Eshmá, uma instituição profissional e independente especializada no cuidado das vítimas de abuso sexual, poder e consciência na Igreja Católica.
  • O Informe também explica as razões pelas quais os legionários publicaram, com nome ou com um código numérico, cada caso de sacerdotes da Congregação que cometeram abuso de menores. Este informe dá continuidade ao informe estatístico já apresentado pelos Legionários de Cristo, em 2019, e descreve os próximos passos que darão.
  • No Brasil, a Direção Territorial dos Legionários de Cristo também divulgou um comunicado sobre os casos que ocorreram, no passado, no território.

Um passo a mais para a cultura de zero abusos

O caminho de renovação que os Legionários de Cristo percorrem, há 10 anos, avança mais um pouco no campo da atenção às vítimas e do desenvolvimento de Ambientes Seguros. Em 2019, eles publicaram um informe histórico-estatístico sobre todos os casos de abuso desde sua fundação e, no Capítulo Geral de 2020, emitiram dois documentos com seus compromissos e normas no campo da atenção às vítimas e da prevenção de abusos. Um ano depois, em sua determinação de percorrer caminhos de verdade, justiça ecura com as vítimas de abuso sexual cometidos por membros da Congregação, tanto pelas conhecidas, quanto aquelas que, por várias razões, não foram identificadas, os legionários de Cristo publicaram o seu novo Informe Anual 2020, intitulado “Verdade, Justiça e Reconciliação”.

Canal independente e profissional de acolhimento a vítimas, fundado pelas vítimas

Conscientes de que “o abuso sexual contra menores é uma das realidades mais traumáticas, intensas e que afetam profundamente o ser humano”, e que “o processo de cura, muitas vezes, longo e difícil, exige um acompanhamento adequado”, os Legionários de Cristo estabeleceram uma colaboração constante com uma instituição profissional e independente para a atenção a vítimas. Trata-se da Eshmá, fundada por pessoas que foram vítimas de abuso sexual na infância, além de terapeutas, assistentes sociais e advogados especialistas em justiça restaurativa. Essa instituição já começou a atender algumas vítimas de membros da Congregação em diferentes países e conta com programas como: ponto de atenção permanente para acolhida e escuta inicial; espaço de acompanhamento terapêutico para curar as sequelas do abuso; canal seguro e independente de denúncia; orientação social e atenção jurídica sobre o processo de denúncia; e o processo penal e diálogos restauradores como caminhos para a verdade, justiça e reparação.

Programa sistemático de reparação econômica para vítimas

Querendo reparar, de algum modo, o sofrimento causado por abusos cometidos por membros da Congregação e para facilitar tudo o que implica um caminho de cura, durante o ano de 2020, se continuou a oferecer ajuda econômica e terapêutica pontuais a várias vítimas. Para preparar a criação de um programa sistemático e independente para a reparação e apoio às vítimas, foi realizado um estudo das melhores práticas internacionais.

Publicação de casos passados com nomes ou códigos numéricos

A Congregação analisou cada um dos casos que publicou estatisticamente no Informe 1941-2019. A partir deste esclarecimento e, buscando o bem daqueles que sofreram abusos, os superiores dos Legionários de Cristo tomaram a decisão de publicar, com nome e sobrenome, apenas nome ou com um código numérico, cada caso de sacerdotes da Congregação que cometeram um abuso contra um menor de 18 anos.

O Informe recolhe as razões pelas quais a decisão foi tomada para publicar cada um dos casos, respeitando a legislação correspondente. Explica o bem que busca para as vítimas, para suas famílias, para a Congregação, a sociedade em seu conjunto e aos próprios vitimários.

Cultura de proteção e cuidado ao menor: Ambientes Seguros

Em relação aos Ambientes Seguros, em 2020, os Legionários de Cristo renovaram suas políticas de acordo com os padrões internacionais estabelecidos pela agência externa Praesidium. O painel de profissionais leigos contratados foi ampliado, e sessões de formação e sensibilização sobre a realidade do abuso sexual foram realizadas com a colaboração de vítimas de abuso que percorreram caminhos de cura. Os ambientes seguros estão acreditados ou em processo de acreditação, de acordo com critérios oficiais estabelecidospor uma instituição externa em todos os países onde a Congregação está presente.

Prioridades para 2021

A Congregação, consciente de que ainda falta um longo caminho por percorrer, compromete-se a continuar publicando, anualmente, um informe sobre os passos dados, atualizando os dados e prestando conta doscompromissos assumidos. As prioridades para 2021 são: fortalecer a atenção e escuta profissional e sistemática às vítimas; estabelecer um programa independente de reparação econômica das vítimas; examinar possíveis casos de encobrimento e negligência grave; concluir processos independentes de credenciamento em todos os territórios; abordar a questão do abuso de autoridade e da consciência.

Resumo estatístico

No anexo ao Informe Anual 2020, apresenta-se a atualização estatística sobre os casos de abuso na Congregação. Ao todo, 27 sacerdotes Legionários de Cristo cometeram abuso sexual. Isso significa 2% dos 1.380 Legionários de Cristo ordenados sacerdotes ao longo da história da Congregação. Também são mencionados os cinco casos de legionários que abusaram sendo seminaristas e foram ordenados sacerdotes na Congregação. Os padres que permanecem na Congregação não têm um ministério sacerdotal público, exceto um que está com ministério restrito (excluíndo a pastoral com menores), enquanto a revisão de seu caso ainda está em andamento. A atualização estatística 2020 pode ser encontrada em 0abusos.org.

No Brasil 

A Congregação dos Legionários de Cristo divulgou em um comunicado que houve três casos reconhecidos no Brasil. Conforme o comunicado, há, também, um caso em investigação. Apesar de ser antigo, a Congregação recebeu a denúncia recentemente e, por isso, ele ainda está em processo canônico.

De acordo com os critérios de divulgação presentes no Informe 2020, os casos foram divulgados com códigos numéricos. A Congregação ressalta que, no Brasil, não há nenhum caso atual e que todos os membros que cometeram abuso não fazem mais parte da Congregação e foram afastados do ministério sacerdotal. Além disso, todas as vítimas estão sendo atendidas pela Pastoral da Prevenção. Assim como nos demais territórios, no Brasil, a Pastoral da Prevenção busca velar por Ambientes Seguros em todas as suas obras e instituições, reforçando a cultura de zero abusos.

Qualquer pessoa que tenha alguma informação relacionada com abuso ou importunação por parte de algum membro da Congregação deve informar as autoridades civis e, também, entrar em contato, através dos canais de denúncia dos Legionários de Cristo.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here