Ambientes Seguros no Brasil: uma mudança de cultura e uma caminhada para promover a dignidade humana

0
1227

O Regnum Christi, juntamente com toda a Igreja Católica, está empenhado em criar e manter Ambientes Seguros para as crianças, jovens e adultos vulneráveis que participam nas suas atividades apostólicas, educativas e pastorais.

Em cada país estão sendo estabelecidos códigos de conduta para todos os legionários, consagradas, leigos consagrados, e qualquer leigo que tenha contato com menores e pessoas vulneráveis, promovendo assim uma cultura de proteção e cuidado com os menores. A todo esse processo, denominamos “Ambientes Seguros”.

Para promover e motivar os membros nessa missão comum, o território realizou, no início do mês de outubro, um Webinar sobre Ambientes Seguros para formadores das diversas localidades, com o objetivo de compartilhar com os membros  e ramos consagrados o que tem sido feito no Brasil e os próximos passos sobre esse tema tão importante para o Regnum Christi.

O encontro on-line contou com a exposição de Kate O’Connor, Diretora Territorial das Consagradas e responsável de Ambientes Seguros, Eva Maria Leal, responsável pelo ECyD, Natividad Irala, coordenadora da Pastoral da Rede de Colégios, Pe. Alejandro Fuentes, LC, responsável dos Ambientes Seguros dos Legionários de Cristo, além do Pe. Cleomar Ferronato, LC, Diretor Territorial dos Legionários de Cristo.

Lina Colombo, membro da seção feminina adulta de São Paulo, foi a moderadora desse bate-papo. Ela tem estudado e se capacitado sobre a prevenção de menores e lembrou a importância de falar desse tema e conhecer melhor o que vem sendo feito no território, nos apostolados, nas localidades e nas comunidades de padres e consagradas. “Essa responsabilidade é de todos nós”, disse, na abertura do encontro.

Para iniciar o Webinar, Kate O’ Connor lembrou que as consagradas, os leigos consagrados e os legionários já vem trabalhando, refletido e implementando mudanças quanto ao tema há alguns anos, mas agora é preciso envolver mais os leigos.

“Não é um tema só da Igreja, é um tema nosso”, referindo-se ao um encontro que houve no Vaticano, em fevereiro de 2019, sobre esse tema. “Queremos introduzir esse assunto que já se tornou parte do nosso itinerário formativo como católicos, membros do ECyD e do RC. Vamos falar do nosso compromisso com a proteção de menores, bem como de um ambiente de cuidado que honre a dignidade do ser humano. Que todos se sintam acolhidos e respeitados por cada um de nós, como Cristo o faz”, comentou.

Ela reforçou que esse é um trabalho em equipe, junto com os legionários, para impulsionar a prevenção em conjunto com o território. “Queremos fazer um labor pastoral que promova a dignidade humana, estar abertos à escuta e à disposição dos nossos membros, para que isso seja uma realidade no Brasil e no Regnum Christi”.

Código de conduta no ECyD e nos colégios do Regnum Christi

A consagrada Eva Maria Leal, responsável pelo ECyD no Brasil, compartilhou um pouco do trabalho que tem sido feito com as crianças e os adolescentes. “Quero voltar o nosso olhar para eles. Nós, como formadores, precisamos cuidar de cada um deles. Tudo que nós fazemos só tem sentido por quem eles são para nós e para Cristo. Nosso olhar se dirige a eles que nos foram confiados. Por isso, a nossa organização formativa, logística e prática precisa ser uma expressão desse cuidado e respeito para com eles”, destacou.

Eva ressaltou que o ECyD, como uma organização católica no Brasil, tem um compromisso especial no cuidado com as crianças e adolescentes que participam das atividades. “Nossa missão é que cada um faça uma experiência de um autêntico encontro com Deus e com o próximo. E é a partir dessa busca que surgem as normas, os códigos de conduta etc. Estamos elaborando guias, documentos e autorizações, a partir da legislação do país e o Estatuto da Criança e do Adolescente”.

Para falar como tem sido esse trabalho de prevenção nas obras educativas do território (Colégios Everest e Mão Amiga), a consagrada Natividad Irala apresentou o Código de Política e Conduta, que existe desde 2018 em nossos colégios.

“São os princípios, normas e procedimentos para garantir que haja Ambientes Seguros para menores de idade. É um guia de implementação, com regras e limites, de acordo com a legislação brasileira. Há uma parte de prevenção, procedimentos a seguir, atenção a transgressões etc”, disse.

Cultura de zero abusos é responsabilidade de todos nós

Pe. Alejandro Fuentes, LC, responsável de Ambientes Seguros dos Legionários de Cristo no Brasil e Reitor do Seminário Menor (Apostólica), apresentou tudo que envolve seu trabalho na congregação: normas de proteção, compromisso e atenção às vítimas e às famílias, reconciliação, investigação, atenção a sacerdotes investigados, ambiente responsável, cuidado pastoral, prevenção. Além disso, ele citou os objetivos para 2021, como a resolução dos processos, a implementação da cultura de prevenção nas localidades e de acreditações como a Praesidium (website.praesidiuminc.com), uma organização independente que trabalha com várias congregações religiosas para a proteção de menores.

Reconhecendo uma vez mais o passado dos Legionários de Cristo, em uma conversa profunda com os formadores, o Pe. Cleomar Ferronato, LC, Diretor Territorial dos Legionários de Cristo no Brasil, relembrou os passos dados pela congregação para uma cultura de zero abusos (https://regnumchristi.com.br/radiografia-de-oito-decadas-para-erradicar-o-abuso/) e convidou todos a se responsabilizarem pela prevenção de menores.

“Temos que reconhecer que há um fato doloroso dos abusos que ocorreu dentro de nossa congregação e isso nos faz sofrer. Antes, o foco era evitar escândalos. Essa era a mentalidade da Igreja. Hoje, temos claro que todo o processo deve girar em torno das vítimas. Os ambientes seguros tratam de uma cultura do bem. Uma cultura que coloca a pessoa no centro e não a instituição. E essa é uma responsabilidade de todos nós. É um desafio que temos pela frente, que faz parte do nosso trabalho: além de reconhecer os erros e as feridas, precisamos avançar e mudar essa cultura”, disse.

Pe. Cleomar também relembrou o compromisso do Capítulo Geral dos Legionários de Cristo com essa pauta, reforçado em janeiro deste ano.

“Nosso trabalho tem sido feito à luz do direito canônico. Precisamos estar preparados,  inclusive, os leigos. Precisamos enfrentar com realismo e paciência tudo que aconteceu e o que poderá ocorrer, pois a fragilidade humana sempre vai existir. Porém, devemos nos esforçar para promover a cultura de zero abusos, cuidando melhor das crianças e dos vulneráveis. O meu desejo é que possamos sair desse processo muito mais purificados, centrados em Cristo e nas pessoas”, afirmou.

Ao final, Kate colocou todos os expositores à disposição dos membros e recordou que o caminho já iniciado no território precisa continuar. “Essa conversa com os leigos vai seguir ocorrendo em cada obra, instituição, comunidade e localidade”, concluiu.

Todos os expositores estão à disposição dos membros do Regnum Christi:

Pe. Cleomar Ferronato, LC, Diretor Territorial dos Legionários de Cristo: cferronato@legionaries.org

Kate O’Connor, Diretora Territorial e responsável de Ambientes Seguros das Consagradas: kateoconnor@regnumchristi.net

Pe. Alejandro Fuentes, LC, responsável de Ambientes Seguros dos Legionários de Cristo: afuentes@legionaries.org

Eva Maria Leal, responsável pelo ECyD no Brasil: eleal@regnumchristi.net

Natividad Irala, Coordenadora da Pastoral da Rede de Colégios no Brasil: nirala@regnumchristi.net

Saiba mais:

https://regnumchristi.com.br/radiografia-de-oito-decadas-para-erradicar-o-abuso/

https://regnumchristi.com.br/pe-john-connor-lc-enfrentar-com-determinacao-nossa-historia-e-ajudar-a-sanar-as-vitimas-e-parte-de-nossa-missao/).

https://regnumchristi.com.br/comunicado-final-da-assembleia-das-consagradas-do-regnum-christi/

https://regnumchristi.com.br/uma-nova-etapa-no-caminho-que-deve-prosseguir-mensagem-do-papa-francisco-ao-regnum-christi/

 

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here